Comparação de piscina pronta e em construção

Piscinas: o que preciso saber para construir uma?

Existe algo melhor que uma piscina para se refrescar e relaxar no verão? Se sim, desconheço! Caso você esteja pensando em ter uma piscina em casa, saiba que há muitos aspectos a serem considerados para que ela seja bem projetada e executada. Por isso, preparamos este blog para você entender o passo a passo para construir sua piscina, desde seu planejamento, até a execução. 

Motivos para você ter uma piscina em casa

Ainda está em dúvida sobre construir uma piscina? Confira alguns motivos e benefícios que podem te ajudar a tomar essa decisão!

Saúde física

Natação, hidroginástica, alongamentos e outros exercícios submersos: não faltam atividades físicas para praticar!  Exercícios realizados na piscina melhoram o sistema respiratório e favorecem o fortalecimento muscular e a queima de calorias — e, tudo isso, com um mínimo impacto e risco de lesões. Logo, uma piscina pode ser uma grande aliada caso você queira perder peso ou somente manter a forma e a saúde em dia! Confira mais detalhes neste link.

Relaxamento

Você sabia que um simples mergulho pode reduzir o estresse e renovar as energias?  Isso é possível porque a água possui propriedades terapêuticas, que contribuem para a redução de tensões físicas e mentais. Além disso, mergulhar também ajuda a desacelerar e acalmar o sistema nervoso, proporcionando uma sensação de bem-estar.

Lazer

Uma piscina é sinônimo de diversão e boas memórias, afinal, ela não é o item de lazer mais almejado pelos brasileiros à toa!Construir uma piscina torna ambientes externos ainda mais agradáveis e completos para reunir os amigos. Além disso, é uma oportunidade de descontrair e relaxar com a família sem sair do seu quintal. 

Valorização do imóvel

De acordo com o consultor imobiliário Fabiano Silva, ter uma piscina em casa é um grande diferencial e pode aumentar o valor de seu imóvel em até 30%. Portanto, construir uma piscina em casa é, evidentemente, um investimento que valorizará sua residência futuramente. Ou seja, o retorno é garantido!

A escolha do local​

Você não quer que seus momentos de diversão sejam interrompidos por preocupações e dores de cabeça, certo? Para evitar essa situação, é muito importante analisar previamente e escolher um local adequado para a construir sua piscina. Nesse contexto, os principais fatores que você deve considerar são:

Posição e incidência solar

Esteja atento: piscinas jamais devem ficar à sombra! O ideal é analisar a trajetória do Sol e dar prioridade à face norte do terreno, de modo que a incidência solar seja maior — inclusive no inverno —, facilitando seu aquecimento.

Árvores ao redor

Evite a presença de árvores e arbustos muito próximos, dado que eles podem refletir em mais folhas e sujeiras na sua piscina. Além disso, consequentemente, podem causar o entupimento de filtros e exigir manutenções em maior frequência.

Privacidade

É fundamental escolher um local de maior privacidade para construir sua piscina, seja para evitar olhares curiosos ou o uso não autorizado. Nesse sentido, uma possível solução para aumentar sua privacidade é a construção de muros, grades, cercas tradicionais ou, até mesmo, cercas vivas. Estas têm se popularizado entre pessoas que buscam alternativas mais bonitas e naturais para decorar e demarcar sua área externa. 

Vento

Busque manter sua piscina abrigada do vento excessivo, visto que este interfere na sensação térmica — diminuindo a temperatura da piscina. Dessa forma, muros e cercas também são uma alternativa nesse caso.

Conforto

Esse é um aspecto essencial para você e sua família aproveitarem a piscina da melhor maneira possível. Porém, conforto não trata apenas dos acessórios dispostos ao seu redor. Também é necessário avaliar a circulação, organização e acessibilidade do local, para que todos possam usar a piscina e transitar pelas proximidades de forma segura e confortável. 

Detalhes importantes para construir uma piscina

 

  • Tamanho e formato: o primeiro primeiro passo para a construção de uma piscina é decidir qual será seu tamanho e formato. Para isso, é necessário avaliar suas ideias e o espaço disponível no terreno. 
  • Profundidade: nesta etapa, é fundamental estudar o seu terreno para evitar que canos possam ser danificados no processo de escavação do local. Além disso, você também deve pensar em quem serão os usuários da piscina e considerar se crianças também irão utilizá-la.
  • Escavação: com base no formato e nas dimensões definidas, este é o momento de iniciar a construção e escavar terreno. Nessa etapa, é orientado que se cave um pouco mais as laterais (entre 15 e 20 cm a mais), pois a estrutura ocupa certo espaço extra.
  • Queda no piso: um pequeno detalhe, porém de grande importância. É fundamental que haja um desnível no piso da piscina em direção ao ralo, de modo a facilitar o escoamento de água.
  • Dutos: antes de instalar ou fazer o caixote da piscina, é importante deixar tudo preparado para as instalações hidráulicas do projeto, como saída e entrada de água.
  • Impermeabilização: as orientações para essa etapa dependem do tipo de piscina escolhida, podendo variar entre o uso massa asfáltica, argamassa impermeabilizante, entre outros. No entanto, é fundamental que você invista nessa etapa para evitar possíveis infiltrações na estrutura.
  • Acabamento: Hora de soltar a criatividade! Possibilidades de acabamentos e revestimentos para piscinas não faltam no mercado. Porém, elas também podem variar de acordo com o tipo de piscina escolhida pelo cliente. Após essa fase, basta limpar a piscina, enchê-la e aproveitar!  

Dispositivos necessários para a piscina

Você conhece os dispositivos fundamentais para o bom funcionamento de uma piscina? Não se preocupe, vamos mostrar quais são eles, explicar suas funções específicas e onde devem estar localizados quando construir sua piscina. 

Entrada de água

Sua principal função é encher a piscina com água por meio dos seus dutos que são conectados a bomba.

Ralo ou Dreno de fundo

O Ralo de fundo, como seu nome sugere, fica localizado na região mais profunda da piscina e é essencial na piscina. Tem a função elementar de escoar a água do fundo da piscina para a motobomba, e assim possibilitar a filtragem e o aquecimento da água e para a função de hidromassagem. Ainda, quando necessário, possibilita a drenagem da piscina.

Dispositivo de retorno

Como complemento do ralo de fundo, o dispositivo de retorno é encarregado de retornar a água, já filtrada e aquecida, da motobomba para a piscina. Ele orienta o fluxo de água ao skimmer para movimentá-la e distribuir os produtos de manutenção e limpeza homogeneamente e também, carrega a função de encher a piscina. Sua instalação deve ser de 30 a 50 cm abaixo do nível da água e do lado oposto do ralo de fundo. Para piscinas com mais de 50m², 2 dispositivos de retorno devem ser instalados, no mínimo..

Skimmer ou Dispositivo de aspiração

Esse dispositivo tem a função de sugar a água suja, com cabelos e folhas, levando as sujeiras ao esgoto e devolvendo a água limpa. Esse processo ocorre pelo aspirador e pela mangueira. Ele deve ser instalado a 30 cm da borda da piscina no lado contrário da entrada de água e conectado a bomba.

Casa de máquinas

A casa de máquinas é fundamental para o bom funcionamento da piscina. Nela são instaladas as tubulações responsáveis pela limpeza da água e os equipamentos de manutenção, como o filtro e a motobomba. O tamanho do maquinário pode variar conforme a disponibilidade de espaço e o tamanho da piscina. Porém todas devem ser construídas na parte externa da piscina, a uma distância máxima de 6 metros e em um espaço que possibilite o acesso de pessoas e equipamentos para manutenção.

Principais tipos de piscina

Piscina de fibra de vidro

Esta é uma ótima opção para quem tem pressa e um baixo orçamento para construir sua piscina. Devido a fatores como praticidade, preço mais acessível e agilidade na instalação, as piscinas de fibra de vidro são cada vez mais populares atualmente. Por ser pré-fabricada, em poucos dias a piscina já está instalada e pronta para uso, basta que o local esteja previamente preparado para recebê-la, com escavação adequada e casa de máquinas instalada.

Outro benefício desse tipo de piscina é a facilidade de limpeza e manutenção, isso porque sua superfície lisa impossibilita a formação de algas, como pode acontecer com piscinas revestidas em pastilhas. Além disso, por ser feita de uma única peça, não há necessidade de preocupação com vazamentos.

A principal desvantagem de construir uma piscinas de fibra de vidro é a pouca variedade de modelos, formatos, acabamentos e tamanhos, o que resulta em certa limitação de design e projeto. No entanto, com um maior orçamento, é possível fazer uma piscina de fibra de vidro personalizada — apesar de que, dependendo do valor final, possa ser mais interessante investir em uma piscina de concreto ou alvenaria (explicaremos adiante o porquê).

Não se esqueça: o local de instalação deve ser de fácil acesso, pois a piscina já vem pronta para ser instalada! Desse modo, ela é transferida e posicionada com um guindaste. Portanto, devemos considerar o espaço disponível para que o guindaste chegue ao local sem grandes obstáculos.

Esquema de uma piscina de fibra de vidro
Esquema de uma piscina de fibra de vidro

Piscinas de concreto armado e alvenaria

Tanto as piscinas de concreto armado, quanto as de alvenaria, estão entre os modelos mais caros do mercado — perdendo somente para as piscinas de vidro, que veremos adiante. 

Ambas apresentam um resultado final semelhante, estando a principal diferença na parte estrutural. A grande vantagem em comum entre elas é a fácil adaptação ao espaço e a liberdade para criar o projeto, podendo variar em dimensões, formatos e acabamentos. Ou seja, podem ser totalmente customizadas e construídas exatamente como você deseja!

Tais tipos de construção precisam ser muito bem projetadas e executadas — por profissionais capacitados —, levando em consideração a densidade do solo, estrutura e impermeabilização — o que acaba encarecendo o projeto final.  Isso porque, para evitar futuros vazamentos e aumentar a vida útil da piscina, sua estrutura deve ser protegida com uma manta asfáltica e camadas de impermeabilizante. Além de tais cuidados prévios, é necessária uma atenção especial quanto à higienização dos rejuntes — evitando a possível proliferação de algas — e à manutenção dos revestimentos.

Esquema de uma piscina de concreto
Esquema de uma piscina de concreto

Piscina de vinil

Por também possibilitar a adaptação a formatos e texturas diferentes, a piscina de vinil é comumente caracterizada como piscinas de concreto e de alvenaria — sendo a principal diferença o tipo de revestimento. Nela, o vinil atua como revestimento e impermeabilizante, o que reflete em menores gastos com impermeabilização se comparada a tais tipos de piscina.

Esse já é o modelo mais comum nos Estados Unidos e no Canadá, afinal, a vida útil do vinil é relativamente alta (podendo durar mais de 20 anos) e sua instalação é barata e rápida. Além disso, vale ressaltar que sua manutenção é simples e fácil — sendo necessário apenas a limpeza com materiais não abrasivos, como esponjas.

No entanto, optar por uma piscina de vinil pode ser desvantajoso para terrenos de difícil acesso, pois é necessária a aproximação de um caminhão pipa para enchê-la.                          

Esquema de um piscina de vinil
Esquema de um piscina de vinil

Piscinas portáteis de plástico ou lona

Quer evitar obras no quintal? A piscina portátil pode ser uma alternativa! Sendo encontrada em modelos de plástico ou lona, ela é conhecida por sua praticidade e custo benefício.

Além de serem de fácil instalação, essas piscinas não ocupam muito espaço quando desmontadas, exigem menos gastos com cuidados e não requerem manutenção periódica como as piscinas tradicionais.

Contudo, é evidente que ela deixa a desejar em questão de beleza e design. Caso essa seja a sua preocupação, uma solução pode ser envolvê-la em alvenaria ou placas de poliestireno expandido (EPS). Consequentemente, a piscina passará a exigir um motor e uma casa de máquinas, porém ainda tendo um menor custo em relação aos demais modelos de piscina.

Piscinas de placas pré-moldadas

Esse modelo é uma excelente opção para ganhar tempo e poupar mão de obra. E o melhor: é totalmente personalizável e adaptável a qualquer espaço! A piscina é constituída de placas pré-fabricadas e moldadas sob medida, facilmente montadas na obra. Logo após posicionadas, as placas têm suas emendas concretadas — garantindo a sustentação e vedação adequadas para a piscina.

A preparação do terreno é semelhante à dos modelos de concreto e alvenaria comum, sendo necessária a escavação e definição dos pontos de instalação hidráulica antes da instalação das placas de concreto. Além disso, assim como a maioria das piscinas, essa também exige um cuidado prévio com impermeabilização — embora existam no mercado estruturas já totalmente impermeáveis. 

Piscina de vidro

Se você busca sofisticação e elegância — e tem um alto orçamento disponível — esta pode ser uma ótima opção. Estando entre as mais caras do mercado, as piscinas de vidro são frequentemente utilizadas em residências, hotéis e resorts de altíssimo padrão, apresentando design sofisticado e valor decorativo.

Elas são produzidas em vidro temperado e laminado, uma combinação de plástico e fibra de vidro que resulta em um material altamente flexível — necessário para suportar a alta pressão ocasionada pelo volume de água.

Mas não se preocupe quanto à segurança! Se todas as normas forem atendidas e as recomendações forem seguidas, o vidro torna-se um dos materiais mais seguros e resistentes para piscinas. Para isso, o projeto deve ser muito preciso e bem planejado — além de realizado por empresas especializadas —, de modo a garantir uma instalação segura aos usuários.

Piscina de areia

Já sonhou em ter uma praia no seu quintal? Acredite, não é impossível! Esse inovador conceito de piscina oferece um aspecto final de praia artificial e um visual tropical ao projeto. Ela é construída em concreto armado e finalizada com uma mistura de areias minerais e resina, que resultam em uma areia compacta, antiderrapante e altamente resistente.

A necessidade de materiais de qualidade, mão de obra especializada e impermeabilização eficiente acaba elevando seu custo. Porém, os resultados são incríveis e de forte impacto visual!

Quanto à limpeza, é similar à de qualquer piscina, bastando utilizar um aspirador de piscina e uma rede para recolher sujeiras.

Piscina contêiner

Última, mas não menos importante! Aliando sustentabilidade, baixo custo, praticidade e um toque de modernidade, a piscina feita de contêiner tem se popularizado ao redor do mundo. 

Contêineres marítimos são descartados após cerca de 10 anos de uso e — até sua total degradação — permanecem mais de 100 anos abandonados no meio ambiente. Assim, gerando grandes impactos ambientais, como a emissão de carbono. Diante desse contexto, a piscina contêiner foi desenvolvida com o objetivo de reaproveitar esse material, dando uma nova utilização a algo que seria rejeitado. Somado a tais benefícios, a piscina ainda apresenta um fácil transporte, visto que a casa de máquinas e todos os demais equipamentos já vêm acoplados a ela. Desse modo, é necessário se preocupar somente com o espaço e acesso para recebê-la.

Entretanto, para casas com um espaço limitado, a pequena diversidade de tamanhos da piscina contêiner pode ser uma desvantagem — estando disponível em apenas duas medidas.

Sustentabilidade

Atualmente, o consumo consciente tem ganhado cada vez mais espaço. Embora possuamos grande quantidade de recursos hídricos no Brasil, nossas reservas de água potável vêm diminuindo e muitas regiões já enfrentam racionamento. 

Preservar e cuidar do meio ambiente é uma tarefa que cabe a nós. Mas você já parou pra pensar no impacto ambiental que uma piscina pode trazer? Se você escolheu construir uma piscina em sua casa, saiba que ela precisa ser limpa periodicamente. Porém, entre todos os processos de aspiração, filtragem e drenagem, há um desperdício anual de cerca de 1,2 bilhão de litros de água. 

Diante dessa situação, uma alternativa é utilizar um reservatório para coletar essa água e reaproveitá-la em seu dia a dia — seja para limpar a casa, regar jardins ou até lavar o carro. Além disso, com a instalação de um sistema de filtragem, é possível retirar as impurezas e retornar uma água limpa para encher sua piscina. Talvez pareça pouco, mas pequenas ações como essa fazem toda a diferença (tanto para o meio ambiente, quanto para a economia de seu bolso)!

Se quiser saber mais sobre sustentabilidade, confira esse blog que a Alcance preparou.

Curtiu o nosso blog? Não esqueça de compartilhar com um amigo e confira os blogs anteriores!

× Como posso te ajudar?