gás-encanado

Gás encanado em casa: praticidade para seu lar

Tudo que você precisa saber sobre instalações residenciais de gás GLP

Com o aumento do preço do botijão de gás e da conta de energia elétrica, muitas  pessoas vêm buscando alternativas para substituir o tradicional gás de cozinha e os  aquecedores elétricos. Uma dessas alternativas é o projeto de instalação de gás encanado, que  vem ganhando força especialmente nas regiões mais frias. Muito comum em condomínios,  esse sistema também pode ser adotado em residências unifamiliares e estabelecimentos  comerciais. O GLP – gás liquefeito de petróleo – é o tradicional gás de cozinha, mas em  instalações de gás encanado ele é armazenado em cilindros em uma central na própria  construção. Então, é realizado um projeto para definir o posicionamento das tubulações que levam o gás até os equipamentos. No blog de hoje, apresentaremos alguns dos seus benefícios, o processo necessário para a realização do projeto e a instalação, as suas partes constituintes e os cuidados que você deve ter com o seu sistema.

Vantagens:

O sistema de gás encanado tem vários benefícios, conheça alguns deles:

Segurança

Um projeto de encanamento de gás deve seguir várias normas e restrições para garantir  sua segurança, como a NBR 15523 e 15526. Essas normas levam em consideração os locais em que a  tubulação deve passar e seu distanciamento da rede elétrica e hidráulica, a ventilação  adequada da central de cilindros e dos equipamentos que serão abastecidos, os registros de  pressão e válvulas. Tudo isso para assegurar a manutenção adequada das instalações, tornando os  riscos de vazamento menores que no botijão de cozinha.

Manutenção preventiva em instalação de gás encanado

Comodidade

O abastecimento do GLP contém um registro que permite observar a quantidade de gás  disponível, possibilitando ao consumidor antecipar a troca do cilindro, diminuindo problemas  de falta de gás em situações inoportunas. Através desse registro, também é possível prever o  consumo mensal médio e planejar-se em relação ao pagamento das contas.

Outras Atribuições

Além de substituir o botijão na cozinha, um projeto de gás encanado também pode ser  planejado para atender as necessidades de aquecimento de ambiente e de água, substituindo  aquecedores, chuveiros e torneiras elétricas por seus correspondentes a gás. Inclusive, o  chuveiro a gás tende a ter maior vazão de água quente, além de trazer economia considerável  na conta de luz. 

Projeto:

Para a realização de um projeto de instalações a gás, é essencial que seja escolhida  uma empresa especializada. Nessa fase, o profissional deve realizar uma análise do projeto  arquitetônico e dos complementares, fazer um levantamento da potência dos equipamentos  que serão conectados à rede, dimensionar e posicionar a tubulação, levando em consideração  a localização dos demais sistemas da residência ou comércio. Além disso, deve definir e quantificar os  materiais, escolher o tipo e o posicionamento das válvulas, medidores e acessórios. A  elaboração de um projeto é fundamental para garantir a eficiência e segurança do sistema,  além de evitar imprevistos no momento da instalação. 

Instalação:

Assim como o projeto, a instalação também deve ser realizada por uma empresa e  profissionais responsáveis e qualificados, seguindo fielmente tudo que foi previsto no  projeto. As principais partes constituintes do sistema são:

Central: onde são armazenados os cilindros de GLP. Podem ficar na parte externa da  construção em local bem ventilado e protegido por grades, para evitar a interferência de  pessoas não autorizadas.

Central de gás encanado domiciliar

Regulador de pressão: reduz a pressão de entrada do gás para uma mais adequada em sua  saída, a fim de adequá-la aos equipamentos.

Rede de tubulações: ramificações que levam o gás na pressão ideal aos aquecedores, fogões  e fornos.

Medidor de consumo: permite controlar o consumo individual do GLP.

Registros: peças que permitem bloquear o fluxo do gás, devem estar anexas a todos os  equipamentos. Precisam ser fechados em caso de manutenção ou suspeita de vazamento. 

Teste de estanqueidade:

Ao fim da instalação, o Corpo de Bombeiros exige que seja realizado um teste de  estanqueidade para conferir se há eventuais vazamentos. Essa verificação deve ser repetida  periodicamente, tempo que varia de acordo com a legislação local e a situação construtiva de  cada sistema. Assim, o teste tem o objetivo de verificar a validade, desobstrução e calibração de todos os medidores e registros; pintura, suportes e sinalização da tubulação. Tudo isso para preservar a segurança do patrimônio e dos usuários.

Cuidados do consumidor:

Mesmo quando realizada por empresa competente e seguindo todas as normas, uma  instalação a gás exige certos cuidados simples por parte do consumidor. É fundamental que  os equipamentos que consomem gás sejam mantidos em ambientes ventilados para evitar o  acúmulo de gás e o risco de explosão em caso de vazamentos. Além disso, é importante ficar  atento ao seu consumo: uma discrepância considerável na medição sem motivo aparente  pode indicar vazamento. Nesse caso, os registros devem ser fechados imediatamente e a  manutenção precisa ser solicitada.

Como vimos até aqui, a contratação de uma empresa responsável é essencial para a  realização de qualquer serviço. Você sabia que a Alcance agora também trabalha com projeto de instalações a gás? Entre em contato para um diagnóstico gratuito!

× Como posso te ajudar?